O Significado do Eu Sou

Uma das coisas que não é bem compreendida, nas chamadas Escrituras Sagradas é a definição que Deus dá de si mesmo.

Êxodo 3:14 – “Então afirmou Deus a Moisés: EU SOU O QUE SOU. E deveis dizer aos filhos de Israel: EU SOU me enviou a vós outros!”

Ele define a si mesmo como EU SOU. Na Torah hebraica, Shemot 3:14 diz אֶהְיֶה אֲשֶׁר אֶהְיֶה, pronunciado Ahyah Asher Ahyah.

Para entender a razão pela qual ele se define assim, você deve estar ciente de que o conceito de Deus como um ancião que fica no céu abençoando e protegendo a uns e amaldiçoando e castigando a outros, e julgando a todos, é um conceito equivocado, um conceito errôneo. Isso é ilusão, uma fantasia.

O que os religiosos chamam de Deus nada mais é do que a Fonte de Energia da qual todos nós somos extensão. Do mesmo modo que não existe oceano sem gotas, não existe Deus sem mim, sem você, sem cada um de nós. Você e Deus são uma coisa só e não há como separá-los. Você não pode separar-se daquilo que você é. Todos nós somos um. Todos nós somos deuses e as chamadas Escrituras Sagradas confirmam isso:

Tehilim / Salmos 82:6 – “Vós sois deuses, e todos vós filhos do Altíssimo.”

Portanto, todos nós somos deuses e todos nós somos um. Juntos, formamos a Consciência que criou o mundo em que vivemos, criou o Universo e tudo que existe. No tópico “Flor da Vida”, nós mostramos como ocorreu a criação.

Ciente disso, fica mais fácil compreender o sentido do Eu Sou.

O diálogo de Mooji explica isso lindamente:

Pergunta: Quem é você?

Mooji: Eu sou o atemporal, o imutável, o Real.

P: De onde você veio?

M: De lugar nenhum.

P: Mas você está aqui!

M: Sim, sempre assim.

P: Por que você veio?

M: A pergunta “por que?” é irrelevante. Eu nunca vim, eu nunca irei; eu sou a existência além de qualquer razão ou causa; Eu Sou, além da mente e de seu mundo, assim como você.

P: Mas eu posso vê-lo, sentado aqui perante mim!

M: Sim, antes de “mim”, eu sou. O que você vê não é o que eu sou.

P: Eu não entendo…

M: Você não pode entender a Verdade, você pode apenas conhecê-la, realizando que você é a própria Verdade. Não pense que a mente o ajudará. O papel dela é lhe confundir, é provocar dúvidas em você – um trabalho que ela faz muito bem.

A única coisa é que ela precisa da sua cooperação para enganá-lo – um trabalho que você faz muito bem.

Pensamentos vêm e vão; o Ser, não. Você testemunha os pensamentos. Você é a tela imutável na qual os pensamentos são percebidos, e você é quem os percebe também – essa é a charada da existência.

Enquanto você se identificar com a mente-ego, você não percebe o óbvio – a sua própria presença sem forma.

P: Como eu posso encontrar esta presença da qual você está falando?

M: Ela não pode ser “encontrada”. Ela apenas é, e você já é isso. Pode você traçar uma linha entre você e o Ser? Encontre primeiro aquele que tenta encontrar alguma coisa, e então veja se ainda existe algo para encontrar.

P: Mas, na verdade, eu não sei o que é “presença sem forma”!

M: Claro que você não sabe! Ela também não pode ser “conhecida”. Quem é que está buscando? O que é isso que quer saber?

P: Eu!

M: Certo, e o que é “eu”? Apresente-se.

P: Tudo isso: meu corpo, minha mente, meus pensamentos, desejos também, minha alma…

M: Quem ou o que diz isso? Quem vê isso? Antes que elas alcançassem sua boca, de onde é que essas palavras emergiram? Você me dá uma lista de coisas, você diz: “meu” corpo. Eu digo: corpo de quem? Ele lhe pertence, assim como o seu carro ou suas roupas? Você também diz: “minha mente”, não diz? Significando que é sua, não você. Até mesmo “minha alma” – você diz: “minha alma está se deleitando” ou “minha alma estava pesada com mágoas…”

A alma está mudando; você permanece por trás, você testemunha o que acontece em sua alma. Então, quem é você?

P: Eu, eu mesmo…

M: Anterior aos pensamentos e às palavras, anterior ao seu surgimento, aquilo que nem os precede nem os segue – o que é aquilo?

Não toque neste “eu”. Isso é apenas uma palavra, apenas um conceito. Olhe. Não pense. Permaneça em silêncio. Observe.

P: Nada… Eu vejo absolutamente nada!

M: “Nada” está correto. “Nada” querendo dizer sem forma, além da forma, além do tempo. Você não é uma “coisa”; como poderia ser? Qualquer coisa, mental ou física, aparece, flutua ou se move, através da sua consciência. E nós somos a testemunha desta consciência, do seu conteúdo e atividade. Você pode confirmar isso?

P: Sim… sim… então eu sou o mesmo que você?

M: Sim. Apenas remova o pensamento “o mesmo que”.

P: Eu sou você.

M: Sim. E que tal apagar o “você”? Você pode fazê-lo?

P: [Longo silêncio]

M: Quando você disse “eu sou você”, a palavra “você” se refere a Mooji? Você se refere a este corpo sentado nesta cadeira? [Mooji sacode seu corpo como se fosse um boneco] Este corpo é Mooji? Quem é Mooji?

Este corpo não é diferente daquele corpo ou todos os outros corpos [apontando para as pessoas na sala]. Ele é feito dos elementos e é comida elementar. Os vermes ou o fogo estão esperando por ele. É isto que você é?

Muitos místicos dizem estas coisas: “Tudo é Um, Eu sou você, você é eu, sem diferença…”. Mas se não é a sua experiência, são apenas palavras para você, palavras vazias, e isto pode ser sentido imediatamente. É melhor não dizer nada, ficar quieto.

Então, novamente, o que é você?

P: Eu sou.

M: Sim, muito bem. Agora solte o “eu sou”.

P: Quem é que vai apagar/soltar o “eu sou”?

M: Você é que me diz!

P: Se eu não sou nada, então nada apaga coisa nenhuma, o apagar acontece.

M: De fato. Muito verdadeiro. Agora, nem se preocupe com “apagar” e “acontecer”. Não pegue nenhuma arrogância. Não pegue nenhuma ideia. Não pegue absolutamente nada.

Este é o verdadeiro sentido do Eu Sou. Deus é isto! Eu sou isto. Você é isto! Somos a mesma coisa, e somos uma coisa só. Todos somos um. Depois disso, não preciso explicar mais nada, não é?

Namaste! _/\_ 

(O Deus que habita em mim saúda o Deus que habita em você!).

Créditos: Gizeli Ribeiro – Coach, Mentora e Holomentora com certificação internacional em Coaching, Mentoring e Holomentoring com foco em Professional, Self & Life Coaching (ativação de competências pessoais e profissionais com abordagem holo-sistêmica ISOR) e credenciamento internacional oficial da ICF (International Coach Federation), Autora, Palestrante, Idealizadora do Programa Feliz da Vida e Fundadora do Blog Vibrar AAPI. 

Se você gostou deste Blog, cadastre-se para receber nossas melhores dicas, novidades e sugestões:

Seus dados estão protegidos e não serão fornecidos a terceiros.

Mando-te Boas Vibrações!

LOGOTIPO 002

Anúncios

2 comentários em “O Significado do Eu Sou

  1. Salmo 82:6 não está afirmando que somos deuses. Faz referencia a uma autoridade provisória que Deus deu aos juizes para julgarem retamente, mas eles falharam. Por isto no verso 7 diz: “mas como homens morrereis e caireis como qualquer dos príncipes”.

    Curtir

    • Sim, somos seres espirituais e temos um corpo físico para viver neste plano material. Por isso, somos Deuses, mas nos enganamos e morremos como homens, assim como o Deus das chamadas Escrituras Sagradas também se enganou e caiu, pois ele era, nada mais, nada menos que Enlil, um príncipe anunnaki, filho de Anu e irmão de Enki, mas ficou conhecido como YHWH, Yehowa, Yahu, Jeová, Javé, HaShem, Alah e até hoje é chamado de Deus Todo-Poderoso, embora tenha iniciado e perdido muitas guerras para seu próprio irmão, Enki. Mas nossa essência, nosso espírito, nossa consciência não morre. Estamos aqui para expandir a consciência, para evoluir.

      Curtir

Comente

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s