ZONA DE CONFORTO 001

Como Sair da Zona de Conforto

A zona de conforto é uma série de ações, pensamentos e/ou comportamentos que uma pessoa está acostumada a ter e que não causam nenhum tipo de medo, ansiedade ou risco. Nesta condição, a pessoa realiza um determinado número de comportamentos que lhe dá um desempenho constante, porém limitado, e com uma sensação de segurança. Em outras palavras, a zona de conforto representa tudo aquilo que te deixa em uma posição de segurança onde você prefere continuar como está e não arrisca. Porém, você necessita operar fora da sua zona de conforto para realizar avanços em seu desempenho.

A vida começa onde termina a sua zona de conforto porque tudo o que você quer, nesta vida, fica justamente fora da zona de conforto. No porto, as embarcações estão seguras, mas elas foram feitas para navegar e não para ficarem paradas até se deteriorarem de vez. Você pode não saber que resultados virão da sua ação, mas se você não fizer nada, não obterá resultado algum. Para alcançar aquilo que você deseja, você precisa agir, precisa sair da zona de conforto e mudar.

“Grandes empreendedores estão confortáveis em estarem desconfortáveis.”

Steve Blank

As causas mais freqüentes que levam o indivíduo a permanecer na zona de conforto são:

PREGUIÇA – A pessoa sente cansaço, falta de energia, apatia, desinteresse, depressão, ansiedade, culpa, desmotivação ou tudo ao mesmo tempo.

MEDO – A pessoa tem receio de enfrentar os próprios medos: Medo do desconhecido, dos riscos, das incertezas, do que pode acontecer, de perder o controle ou do que os outros possam pensar.

SOBERBA – A pessoa não sente necessidade de aprender nada ou aprimorar-se, por achar-se suficientemente preparada, pronta, brilhante e prefeita (síndrome do copo cheio).

MIOPIA – A pessoa não enxerga claramente os impactos e as conseqüências de algumas atitudes e comportamentos em sua vida, à médio e longo prazos.

A maioria das pessoas quer alcançar seus objetivos, mas inventa desculpas para não sair da zona de conforto. Isto cria barreiras que as impedem de chegar aonde querem.

As conseqüências de ficar neste estado letárgico, relativo e confortável da permanência na zona de conforto são várias. Entre elas:

DISPERDÍCIO DO PRÓPRIO TALENTO – Que é um processo de auto-sabotagem. Apesar da pessoa termuito potencial, não consegue otimizá-lo nem transformá-lo em performance (como uma mina de diamantes lacrada, inexplorada e improdutiva);

IMPACTOS NEGATIVOS NA IMAGEM, NA CARREIRA E NA EMPREGABILIDADE – Ao invés da pessoa ter uma careira ascendente e bem sucedida, ela fica estagnada ou até involui profissionalmente;

DANOS AO CORPO, MENTE E PERSONALIDADE – Pode acarretar prejuízos à saúde (sedentarismo, obesidade ou dependência química), ao intelecto (perda de memória, de raciocínio e de agilidade mental), à psique (imaturidade, dependência, insegurança e áreas cegas) e à personalidade (falta de altruísmo, de senso de propósito e da capacidade de ajudar as outras pessoas);

SUBDESENVOLVIMENTO – Pode fazer com que a pessoa invista pouco em seu desenvolvimento pessoal, que está ligado a aprender, a mudar seu comportamento , a evoluir e a buscar seu sucesso.

ZONA DE CONFORTO 002

Sair da zona de conforto te aproxima daquilo que deseja e isso promove a sua felicidade, mas permanecer na zona de conforto te afasta daquilo que deseja e isso promove a sua infelicidade. A pessoa que permanece na zona de conforto procura substituir o tédio e a dor da sua insatisfação e frustração por algum tipo de prazer. Elas fazem isso com uma infindável variedade de atividades que causam problemas psicológicos e dependências. Por exemplo: vício das redes sociais, drogas, álcool, jogo, pornografia ou compras excessivas. Todos estes comportamentos são muito comuns na tão proclamada cultura de conforto. Este tipo de comportamentos indesejados são impulsionados pela tentativa da pessoa diminuir a ansiedade. Ela escolhe atividades que permitem reduzir a ansiedade e ao mesmo tempo lhe proporcionem prazer, no entanto, essas mesmas atividades, a longo prazo, irão causar uma dor maior do que a saída saudável da sua zona de conforto.

Para sair da zona de conforto, primeiramente, você precisa estar ciente de que ela realmente existe e pode te impedir de explorar seu verdadeiro potencial e alcançar aquilo que deseja.

ZONA DE CONFORTO 001

Neste tópico, eu vou compartilhar com você algumas idéias que vão te ajudar a sair da zona de conforto.

1) Escolha Melhor as Suas Companhias

A Sua vida reflete a expectativa das pessoas à sua volta. Muitas vezes, você segue o roteiro dos seus familiares, dos seus amigos, dos seus colegas de trabalho… Enfim, das pessoas com quem você convive. Você deixa de fazer muitas coisas que você queria ou deveria estar fazendo para agradar as pessoas que te cercam, até para não parecer ou não se sentir diferente delas.

Já que você tem o poder de escolha, prefira ficar perto de pessoas com o mesmo objetivo que o seu porque há chances de você influenciá-las e ser influenciado (a) por elas e vocês vão motivar uns aos outros, criando uma energia positiva. Procure pessoas mais exigentes que você, pois elas vão te incentivar, te impulsionar.

2) Mantenha a Disciplina

Para sair da zona de conforto, você precisa ter disciplina porque sem ela fica difícil abandonar os velhos hábitos.

Quando nós queremos mudar, é muito comum que o cérebro lute contra isso porque ele já está habituado ao nosso velho comportamento. Às vezes, nós estamos tão acostumados com o velho comportamento que, quando nós decidimos mudar, nós começamos a pensar demais, começamos a racionalizar. Então, seja persistente.

Exija mais de você mesmo (a) porque quando você atinge uma meta e não se acomoda nesta posição, você cria mais metas, atinge metas maiores e com isso vai alcançando objetivos maiores, superando-se, crescendo, evoluindo, sempre exigindo mais de você mesmo (a). Isso é fundamental e, fazendo isso, você mantém a disciplina.

3) Visualize a Si Mesmo Fora da Zona de Conforto

Use o poder da visualização. Feche os olhos e comece a se ver realizando aquilo que gostaria de fazer.

Por exemplo: Seu objetivo é freqüentar a academia, mas está frio e você está indisposto (a), com preguiça. Então, você fecha os olhos e se vê na academia, realizando os exercícios, ouvindo aquela música e se sentindo bem.

Com isso, você vai usando os seus sentidos, a visão, a audição, o olfato (memória olfativa), as sensações… Porque desta forma, você vai criar um desejo, vai estimular o cérebro, ele vai aceitar este desejo e você vai encontrar forças para sair de casa e ir até a academia. Então, use os seus sentidos.

Você pode utilizar esta técnica para qualquer atividade que você queira realizar, mas esteja encontrando dificuldades de sair da sua zona de conforto.

Pratique a visualização todos os dias. Reserve 3, 5, 10 minutos do seu dia para praticar a visualização, pois isso vai te ajudar muito.

4) Encare Novos Desafios

Aprenda algo novo; calcule os riscos; Descubra novos conceitos.

Para sair da zona de conforto, você precisa encarar novos desafios, você precisa aprender algo novo, algo diferente, algo que realmente faça diferença na sua vida, algo que melhore sua vida.

Você precisa calcular os riscos. Por exemplo:

Se você decide que quer abrir um negócio e nunca fez isso antes, você está encarando um novo desafio, então, você deve calcular os riscos, deve calcular o investimento, as despesas e os lucros. Após calcular e saber até onde você pode arriscar, você pode entrar em ação.

Você deve descobrir novos conceitos, novas formas de pensar. Hoje em dia, a tecnologia tem acelerado nossa vida e criado inúmeras possibilidades e oportunidades. Temos uma enorme quantidade de informações.

Muitos dos antigos conceitos que aprendemos não funcionam mais, não servem mais, não têm mais utilidade. Então, nós precisamos estar sempre aprendendo algo novo e descobrindo novos conceitos.

5) Deixe a Racionalização de Lado

Uma vez fixado seu objetivo, faça-o acontecer; lembre-se que a racionalização pode levar à procrastinação.

Racionalizar é quando nós temos uma meta e queremos sair da zona de conforto, mas começamos a pensar demais, ficamos pensando se vai dar certo, se vamos conseguir… E acabamos não agindo. Isto é racionalização.

Se você ficar pensando demais, você vai adiando a ação, adiando suas metas e começa a procrastinar. O tempo vai passando e você não realiza aquilo que pretendia.

É hora de deixar a racionalização de lado e começar a agir, entrar em ação. Isto é fundamental.

Texto:

Gizeli Ribeiro – Coach, Mentora e Holomentora com certificação internacional em Coaching, Mentoring e Holomentoring com foco em Professional, Self & Life Coaching (ativação de competências pessoais e profissionais com abordagem holo-sistêmica ISOR) e credenciamento internacional oficial da ICF (International Coach Federation), Autora, Palestrante, Idealizadora do Programa Feliz da Vida e Fundadora do Blog Vibrar AAPI.

Créditos:

Miguel Lucas – Psicólogo, preparador mental de atletas e equipes desportivas, treinador de atletismo e formador da área do rendimento desportivo.

Sandra Betti – Especialista em Assessment Center, Identificação de Talentos, Desenvolvimento Gerencial e Team Building, é sócia-diretora da consultoria MBA empresarial.

Luiz Felipe Carvalho – FocusLife

Se você gostou deste Blog, cadastre-se para receber nossas melhores dicas, novidades e sugestões:

Seus dados estão protegidos e não serão fornecidos a terceiros.

Mando-te Boas Vibrações!

LOGOTIPO 002

Comente

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s