Ação x Teoria

Na primeira cena do filme Enemy Mine (Inimigo Meu), o astronauta americano diz:

“Nós estávamos em guerra e, em toda guerra, nós temos longos períodos em que nada acontece e um período de uma batalha muito forte.”

Geralmente, é assim que as guerras são. Os militares ficam em treinamento por muito tempo e então, rapidamente, eles colocam tudo em prática e têm que fazer tudo funcionar.

Esta teoria funciona tanto para guerras quanto para empreendedorismo, para a vida profissional e para uma série de desafios que você pode estar tendo agora. Você precisa fazer a lição de casa e, de repente, você tem que colocar tudo em operação AGORA, para funcionar.

AÇÃO X TEORIA

Existem 3 grupos de pessoas que fazem coisas em grande escala, no mundo. Há outros subgrupos, mas estes são os 3 maiores:

1) PESSOAS QUE PÕEM EM AÇÃO IMEDIATAMENTE AQUILO QUE APRENDEM

Essas pessoas fazem, elas aprendem fazendo, não se preocupam muito com a teoria. Elas aprendem muito mais rapidamente e não precisam de muita teoria para obter resultados porque, se você coloca em ação rapidamente, você aprende coisas para as quais não existe explicação teórica.

Quando você coloca em ação, você começa a ver um monte de coisas que você não sabia que eram assim, então, você muda de posição rapidamente e vai corrigindo o curso para chegar aos resultados que você quer obter.

Este é um grupo que inclui pessoas que, geralmente, têm pouca ou nenhuma formação, mas têm grande sucesso. Existem muitas pessoas assim.

Aquela história que diz que você precisa fazer uma quantidade x, y ou z para ter sucesso em certas áreas, não é verdade. Realmente, há áreas em que você precisa estudar muito. Ninguém quer um Neurocirurgião que não estudou. Mas há áreas em que você estuda, estuda, estuda e não muda muito os resultados.  

2) PESSOAS QUE SÃO ESPECIALISTAS NA TEORIA

Estas pessoas estudam tudo o que podem, são especialistas em aprender e passam, praticamente, a vida inteira estudando. Elas fazem 5, 10, 15 cursos e ainda não ficam satisfeitas porque elas estão sempre caindo no círculo da ignorância.

Ninguém sabe tudo a respeito de tudo. O tempo passa, surgem coisas novas, novos conceitos, dados novos, novas descobertas, mais informações… Enquanto estamos vivos, estamos sempre aprendendo. Isto é ótimo! Você deve manter-se atualizado (a) e bem informado (a). Mas é preciso tomar cuidado para não cair na procrastinação e no ostracismo.

O autor multimilionário Andrei Parabellum, que é o maior empreendedor digital da Rússia e um dos maiores webmarketers do mundo, entre outras coisas, diz que há pessoas que dedicam o tempo todo da vida a estudar e nenhum tempo a agir. O resultado disso é que nada acontece. Ele explicou porque isso ocorre:

O que estas pessoas sabem sobre qualquer assunto pode ser muito pouco, no início, e elas percebem que há um círculo grande em torno daquilo sobre o qual elas têm algum conhecimento. Este círculo grande é aquilo sobre o qual elas ignoram. Então, quando elas têm um conhecimento pequeno, elas estudam um pouco para poder conhecer o suficiente para pôr em prática aquilo que aprenderam, mas embora o conhecimento cresça, elas percebem que há um círculo maior, ao redor do conhecimento que elas adquiriram, que é um novo círculo de ignorância. Este círculo maior surge como um território escuro, aquele no qual elas não sabem o que acontece, não têm conhecimento algum sobre ele. E então, elas cometem um erro que as afundam, elas falam assim:

“Se, pelo menos, eu fizesse aquele curso, se tivesse aquele diploma, se tivesse feito aquela faculdade, se tivesse feito aquele mestrado… Bom, com aquela pós-graduação, eu vou conseguir saber como isso funciona.”

Então, elas vão estudar, aprendem tudo o que precisam e, quando elas conhecem tudo o que precisam saber sobre este círculo, elas descobrem que há outro círculo de ignorância ainda maior em torno de todo aquele conhecimento que elas já adquiriram. Então, elas começam a estudar para dominar tudo aquilo e aquele círculo de ignorância se torna um círculo sobre o qual elas sabem tudo, mas quando elas chegam lá, elas descobrem que tem um círculo de ignorância maior ao redor daquele sobre o qual elas adquiriram conhecimento. E neste novo círculo ainda maior, há mais coisas sobre o qual elas precisam estudar. Elas vão ler mais livros, fazer outros cursos, estudar mais e mais…

Ou seja, se você não estabelecer quando vai fazer algo, você vai pesquisar eternamente, você vai se tornar um (a) pesquisador (a) e não um (a) realizador (a).

Existem pessoas que se tornam caçadoras de pós. Elas fazem pós-graduação em cima de pós-graduação como se isso fosse abrir as portas do Universo. Então, elas descobrem que precisam fazer mais uma pós, mais um curso ou estudar mais alguma coisa que falta.

Andrei Parabellum já foi assim, Aldo Novak já foi assim, eu já fui assim.

Andrei Parabellum conta que começou a estudar para um projeto comercial e quando ele compreendia como a coisa funcionava, ele descobria que tinha mais uma coisa para estudar. Isso levou cerca de dez anos. Mais ou menos dez anos depois que começou, ele estava fazendo um curso e uma americana que sentou ao lado dele pediu que ele traduzisse porque ela não entendia muito bem aquele inglês com sotaque russo. Ele ensinou tudo a ela, mas não trocaram telefone, então, não se encontraram mais. Em dez anos de estudo, ele não havia ganhado um centavo com todo o conhecimento dele. Depois de 6 meses, ele estava fazendo outro curso e a americana também. Então, ela se aproximou dele para agradecer porque ela havia colocado em prática aquilo que ele a havia ensinado e isto mudou a vida dela porque ela estava ganhando 350 mil dólares por mês. Foi só aí que ele percebeu que ele já sabia muito mais do que era necessário. Ele só precisava colocar em prática. Então, ele pegou o projeto dele e desenvolveu. Hoje, ele recebe mais de 1 milhão de dólares por mês.

Tem gente que é fanática por diplomas e certificados. Essas pessoas só conseguem imaginar que vão ser bem sucedidas depois que estudarem mais uma coisa. Estudar é maravilhoso, é útil, é necessário, é fundamental, desde que você não passe todo o seu tempo estudando. Caso contrário, você nunca vai parar de estudar, pois cada vez que você adquirir conhecimento sobre algo, vai surgir um círculo de ignorância maior e, se você entrar nessa de compreender tudo, você sempre vai achar que não está suficientemente preparado (a), sempre vai achar que não está pronto (a) e nunca vai fazer nada.

O primeiro grupo de pessoas não consegue teorizar muita coisa, mas consegue fazer o que tem que ser feito. Este segundo grupo é ótimo para criar teorias espetaculares, mas não sabe, de fato, como as coisas funcionam. Então, são 2 grupos distintos.

3) PESSOAS QUE ESTUDAM TEORIA, MAS COLOCAM EM AÇÃO RAPIDAMENTE AQUILO QUE APRENDERAM

Você precisa estudar e agir simultaneamente. Esta é uma das chaves dadas por Andrei Parabellum.

Quando você estuda algo e põe em prática imediatamente, você tem o melhor de dois mundos.

Entretanto, colocar em prática imediatamente é impossível porque quando você está estudando, não dá tempo de você pegar aquela mesma informação e colocar em prática.

Então,  eu vou te ensinar um truque que aprendi com Aldo Novak:

Você estuda bastante e estabelece na agenda ou marca no seu calendário, uma data limite para colocar aquilo em prática.

Geralmente, acontece o seguinte:

O grupo que quer partir para a ação, não quer estudar. Então, faz, gasta muito, perde muito, geralmente tem grandes deficiências e grandes prejuízos, mas faz.

O grupo que só quer estudar, não quer agir. Eles acham que ainda precisam estudar muito mais antes de colocar em operação. Este é aquele grupo dos professores universitários que sabem muito, mas passam fome. Eles só querem conhecimento, não querem colocar em ação. E eles não têm o conhecimento, a experiência da prática porque eles ficam presos nos livros.

Então, você deve marcar uma data para colocar em ação e fazer o seguinte:

Se você faz parte do primeiro grupo, grupo que quer colocar em ação imediatamente, tudo que vier antes da data marcada é ESTUDAR. Antes desta data, você não vai colocar nada em prática, você só vai estudar teoria. E você vai estudar toda a teoria possível.

Se você faz parte do segundo grupo, que adora estudar, mas não gosta de colocar em prática, na data marcada você vai parar de estudar qualquer coisa e vai colocar em prática.

 É verdade que, se fizerem isso, os dois grupos vão sofrer porque aquele que adora prática vai descobrir que não colocou em prática por tempo suficiente e o grupo que adora teoria vai descobrir que ainda vai ter que aprender muito mais. Só que os dois grupos já vão sofrer se não fizerem isso. De qualquer maneira, os dois grupos vão sofrer. A diferença é que, se não fizerem isso, vão sofrer por resultados inferiores depois. A pessoa fica dominando tudo, mas os resultados são nulos ou a pessoa tem resultados, mas não sabe por que, pois não domina nada então, tem que dizer que é sorte; ela mesma acredita na sorte.

O terceiro grupo é o das pessoas que pegam aquele conhecimento, colocam uma data e entram em ação. Elas também sofrem porque gostariam de continuar estudando ou gostariam de colocar mais em prática, uma perna em cada lugar, mas é o grupo que vai mais longe.

Se você tem algo que está estudando, tentando dominar, mas tem muita informação e está ficando complexo, coloque uma data limite. Até esta data, você vai estudar. A partir desta data, você vai colocar em prática.

Se você não fizer isso, você vai cair no primeiro grupo, que coloca em prática fora de hora ou no segundo grupo, que vai estudar até a morte. Nenhum dos dois grupos vai ter resultados, o resultado ideal, aquele que você deseja. Porque o primeiro grupo pode fazer alguma coisa que vai dar errado, por falta de informação, e o segundo grupo não vai fazer coisa alguma.

Eu sugiro que você faça isso hoje mesmo: Marque uma data e o que você não conseguir aprender até ali, dane-se! Você só vai aprender o que é teórico até ali. Dali para frente você só vai aprender o que é prático, vai aprender na prática, vai aprender fazendo, vai aprender o que realmente vai colocar toda a teoria para funcionar.

Talvez este dia seja hoje mesmo. Talvez, a partir de hoje, você pare de estudar e comece a colocar em prática ou pare de colocar em prática cegamente e comece a entender como funciona a coisa. Talvez seja outro dia, mas hoje tem que ser o dia em que você vai marcar no calendário. Marque no calendário e siga o seu calendário, siga aquilo que você estabelecer.

Texto: Gizeli Ribeiro

Créditos: Aldo Novak

Ajude a manter este Blog depositando qualquer valor na Caixa Econômica, Agência 0224, Conta 01300199851-0, Operação 013. Desde já, agradecemos o seu apoio.

Mando-te Boas Vibrações!

LOGOTIPO 002

Anúncios

Comente

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s